Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Terra do Sol - Capítulo 13

 

TERRA DO SOL (太陽の国) �� CAPÍTULO 13

Web novela criada e escrita por: Luan Maciel

Produção Executiva: Ranable Webs




CENA 1: INTERIOR. MANSÃO DUBOIS -CIPRIATIS. SALA DE ESTAR.

TARDE

CLOSE EM LUCAS E ESTELA QUE CONTINUAM EM UM ABRAÇO BASTANTE

FRATERNAL. NESSE MOMENTO CELSO VEM DESCENDO AS ESCADAS DA

MANSÃO BATENDO PALMAS DE UMA FORMA BEM IRÔNICA E CON UM

SORRISO MALICIOSO. A CÂMERA FOCA NO OLHAR DE LUCAS QUE ESTÁ

COM NUITA RAIVA AO VER O VILÃO EM SUA FRENTE.

CELSO (cínico): - Olha só para vocês…. Tão medíocres nesse fachada de

um relacionamento de mãe e filho, mas nós sabemos que a verdade é mais

difícil de aceitar. (P) Você sempre foi uma mãe relapsa, Estela.

LUCAS (gritando): - Lace a sua boca antes de falar qualquer coisa da

minha mãe. Ela pode não ser perfeita, mas mesmo assim é muito melhor

do que você, Celso. (T) Eu já soube do que você fez com a minha mãe. Eu

vou te colocar na cadeia, seu desgraçado.

CELSO: - O que foi que houve com você, Lucas? Até parece não ser mais

aquele homem hipócrita que sempre disse acreditar na justiça acima de

tudo. Deixa eu adivinhar. A morte daquela sua noiva te abalou foi?

LUCAS PERDE TOTALMENTE O CONTROLE, E ELE TENTA PARTIR PARA

CIMA DE CELSO. ESTELA CONSEGUE IMPEDIR ENQUANTO O VILÃO SORRI

CADA VEZ MAIS DEBOCHADO.

ESTELA (séria): - Não vale a pena, meu filho. Esse homem é ninguém para

que possamos nos importar com ele. (P) Eu quero que você saia da minha

casa imediatamente, Celso. Você vai pagar por tudo que me fez.

CELSO (sorrindo): - Tem certeza que você quer me desafiar, Estela? Você

se lembra muito bem do que aconteceu da última vez que você tentou.

LUCAS: - Esse é o seu último aviso, Celso. Se você não ficar longe da

minha mãe eu juro que eu vou te jogar no buraco mais sujo que possa

existir. É o mínimo que um desgraçado que nem você merece.


CELSO OLHA COM MUITO ÓDIO PARA LUCAS. LOGO DEPOIS LUCAS E

ESTELA VÃO SUBINDO AS ESCADAS DA MANSÃO ENQUANTO CELSO OS

OLHA COM FRIEZA.

//

CENA 2: INTERIOR. CASA DE SHIN E OLENKA. SALA. TARDE

A CÂMERA MOSTRA QUE KEIKO AINDA ESTÁ ABALADA COM O ENCONTRO

QUE TEVE COM MITSUKO. ELA ANDA DE UM LADO PARA O OUTRO.

AYUMI CONSEGUE AOS POUCOS FAZER COM QUE ELA SE ACALME. O

SEMBLANTE DE SHIN ESTÁ MUITO SÉRIO.

KEIKO (aflita): - Eu preciso dar um jeito de fugir o quanto antes. Pelo

pouco que eu conheço da Mitsuko ela não vai desistir de me vender como

escrava. Tudo o que eu queria era ter a minha vida de volta.

AYUMI (inconformada): - Isso não é justo. Aquela mulher é uma maldita

que deveria estar na cadeia. Nós precisamos fazer alguma coisa. E rápido.

SHIN: - Por mais que eu odeie admitir, mas a Mitsuko é uma mulher muito

perigosa. Se a Keiko quer ir embora então nós não podemos impedir.

KEIKO FICA MUITO PENSATIVA. SHIN E AYUMI SE OLHAM INTRIGADOS

COM O QUE KEIKO DEVE ESTAR PENSANDO NESSE MOMENTO.

KEIKO (decidida): - Eu tomei uma decisão. Eu tenho que voltar para o

Japão o quanto antes. Eu não tenho escolha. Eu preciso fazer isso.

AYUMI (ponderando): - Você tem certeza disso, Keiko? Se você fizer, você

estará correndo o risco de mais uma vez ficar a mercê das artimanhas da

Mitsuko. Você precisa pensar bem se é isso que você quer.

SHIN: - Se é isso que você quer, você tem o meu apoio, Keiko. Mas eu

quero que saiba que aqui você sempre terá pessoas que tem querem muito

bem. Em pouco tempo você ganhou a nossa confiança e amizade.

KEIKO (emocionada): - Vocês não imaginam o quanto isso é importante

para mim. Eu nunca vou esquecer do que estão fazendo por mim.

AS LÁGRIMAS ESCORREM PELOS OLHOS DE KEIKO. LOGO DEPOIS ELA

ABRAÇA AYUMI E SHIN COM MUITA VERDADE.

//


�� KAMAKURA —JAPÃO


CENA 3: INTERIOR. CASA DE KENJI. SALA ORIENTAL. NOITE

O CLIMA DA CENA É BEM CALMO E TRANQUILO. KENJI ESTÁ REUNIDO

COM UM OUTRO HOMEM DE SUA FAIXA ETÁRIA. ESSE HOMEM É KIMURA,

UM ANTIGO AMIGO. NESSE MOMENTO KENJI VAI ENTREGANDO UMA

XÍCARA DE CHÁ PARA KIMURA QUE O ENCARA DE UMA MANEIRA MAIS

SÉRIA.

KIMURA (firme): - Então quer dizer que você está pensando mesmo em ir

para o Brasil atrás da sua neta, meu amigo? Você sabe muito bem que

essa sua busca pode se mostrar infrutífera. É melhor pensar direito.

KENJI (sério): - Eu entendo a sua preocupação, meu amigo. Mas eu não

posso aceitar que a minha neta fique presa nas mãos daquela maldita da

Mitsuko Ishida. Eu preciso ir para o Brasil o quanto antes.

KIMURA: - Eu já imaginava que essa seria a sua postura, Kenji. Mas eu

tenho que te alertar uma coisa. Eu fiquei sabendo que a Mitsuko está

jogando pesado quando o assunto é esse negócio de tráfico de mulheres.

Você precisa ter muito cuidado.

KENJI FICA CADA VEZ MAIS SÉRIO. ELE E KIMURA SE ENCARAM.

KENJI (firme): - Eu entendo a sua preocupação, meu amigo. Mas nada do

que você me diga vai me fazer mudar de ideia. Respeite isso.

KIMURA (ponderando): - É claro que eu respeito a sua decisão, Kenji. Mas

em seu lugar eu procuraria aquele delegado brasileiro de quem você me

falou. Ele pode ser um gaijin, mas vocês podem se ajudar.

KENJI: - Eu não sei se isso é o certo, Kimura. Eu perdi a minha filha por

causa de um gaijin. Confiar em uma pessoa assim não é aconselhável.

KIMURA FICA EM SILÊNCIO. ELE E KENJI SE CUMPRIMENTAM DE UMA

FORMA BEM CORDIAL. O SILÊNCIO REINA NO LOCAL.

//


�� SÃO PAULO —BRASIL


CENA 4: INTERIOR. CASA DE FABIANA E VALÉRIA. QUARTO. TARDE

CLOSE EM FABIANA QUE VAI ANDANDO DE UM LADO PARA O OUTRO

AINDA MUITO NERVOSA COM A REJEIÇÃO QUE SOFREU DE LUCAS. ELA

PEGA UM RETRATO QUE ESTÁ SOBRE UMA MESA DE CANTO E ATIRA COM

MUITO ÓDIO CONTRA A PAREDE. NESSE MOMENTO VALÉRIA ENTRA NO

QUARTO ASSUSTADA COM O BARULHO QUE FABIANA ESTÁ FAZENDO.

VALÉRIA (assustada): - Fabiana…. O que você está fazendo? Desse jeito

você vai acabar destruindo a casa toda. (P) O que está acontecendo?

FABIANA (gritando): - Aquele desgraçado do Lucas voltou para o Brasil, e

mais uma vez ele me humilhou. Mas ele não sabe do que eu sou capaz. Ele

vai se arrepender de ter recusado o meu amor. Eu vou destruir com tudo o

que ele mais ama.

VALÉRIA: - Presta atenção no que você está falando, minha filha. Já basta

dessa sua obsessão pelo Lucas. Deixa ele viver a vida dele em paz. Você

deveria seguir a sua vida. É melhor assim.

A CÂMERA MOSTRA O OLHAR D E FABIANA SE TRANSFORMANDO. A VILÃ

VAI FICANDO CADA VEZ MAIS FORA DE CONTROLE.

FABIANA (descontrolada): - Porque você não para de fingir que se importa

comigo? Eu sempre fui apaixonada pelo Lucas, e é isso que eu ganho em

troca? Mas ele vai sentir na pele tudo que está fazendo comigo.

VALÉRIA (ponderando): - Porque você tem que ser assim, minha filha? Se

o Lucas não te ama você não pode fazer absolutamente nada.

FABIANA: - Isso é o que você pensa, mãe. Se eu fui capaz de tirar a Alice

do meu caminho, o que você acha que eu sou capaz de fazer para ficar

com o Lucas só para mim? (P) Você não tente ficar no meu caminho, pois

será muito pior para você.

FABIANA SAI DE CENA TOTALMENTE DECIDIDA DO QUE FAZER. A

CÂMERA O CHOQUE NO OLHAR DE VALÉRIA COM A REVELAÇÃO DE SUA

FILHA.

//


CENA 5: EXTERIOR. FEIRA JAPONESA. ÁREA ABERTA. TARDE

PLANO GERAL DA CENA. A CÂMERA MOSTRA QUE POUCAS PESSOAS

AINDA ESTÃO NA FEIRA. OLENKA VEM ANDANDO COM ALGUMAS

SACOLAS EM SUAS MÃOS. NESSE MOMENTO ELA É ABORDADA POR

RAMON, E ELA FICA SÉRIA NO MESMO INSTANTE.

RAMON (cínico): - Olha só quem eu acabo encontrando por aqui? Eu acho

que a gente precisa conversar, Olenka. Até quando você vai ficar fugindo

de mim? Não precisa continuar mantendo esse casamento com aquele

japa, pois eu sei que você não ama ele.

OLENKA (séria): - Não fale mais nenhuma palavra, Ramon. Quem você

pensa que é para falar assim do meu marido? Eu já sei da forma que você

tratou a minha filha. Você é o ser mais desprezível que eu já conheci.

RAMON: - Eu sei que você não pensa isso sobre mim na verdade. Você não

vê que a gente foi feito para ficar juntos. (P) Não negue que sente

saudade da nossa juventude? Os seus olhos não mentem.

RAMON PEGA OLENKA A FORÇA E A BEIJA. SEM PENSAR DUAS VEZES

OLENKA DÁ UM TAPA NA CARA DE RAMON QUE FICA FURIOSO.

OLENKA (nervosa): - Nunca mais ouse fazer isso, seu desgraçado. Eu

tenho nojo apenas de olhar para você. A sua mulher é uma mulher

guerreira por simplesmente te aturar. Você não é nem metade do homem

que o Shin é.

RAMON (esbravejando): - Aquele japa não é nada comparado comigo.

Você pode não querer admitir a verdade, mas irá voltar para os meus

braços. Disso você pode ter certeza, Olenka.

OLENKA: - Isso nunca vai acontecer. (T) Agora sai da minha frente,

Ramon. Antes que eu faça uma coisa que eu não quero fazer.

OLENKA SAI ANDANDO PARA FORA DA FEIRA JAPONESA ENQUANTO

RAMON FICA ALI BUFANDO DE ÓDIO.

//


�� ANOITECE


CENA 6: INTERIOR. MANSÃO DA FAMÍLIA DUBOIS -CIPRIATIS. QUARTO

DE LUCAS. NOITE

ESTELA ESTÁ SENTADA A BEIRA DA CAMA VENDO ALGUMAS FOTOS DE

QUANDO O NOSSO PROTAGONISTA ERA PEQUENO. ELA COMEÇA A

REFLETIR QUE SE CASAR COM CELSO FOI UM ERRO. NESSE MOMENTO

LUCAS SAI DO BANHEIRO ENROLADO EM UMA TOALHA. ELE E ESTELA

TROCAM OLHARES DE CUMPLICIDADE ENTRE MÃE E FILHO.

ESTELA (sendo sincera): - Você está diferente depois que voltou dessa

viagem para o Japão, meu filho. Aconteceu alguma coisa de diferente com

você nessa viagem. Eu te conheço melhor que você mesmo.

LUCAS (sorrindo): - Não tem como eu esconder nada de você, não é

mesmo, mãe? (P) Você está coberta de razão. Nessa viagem para o Japão

eu conheci uma mulher diferente de todas. Não pense que o que eu sentia

pela Alice não fosse de verdade. Mas a Keiko mexeu comigo de uma forma

que eu não esperava.

ESTELA: - Eu jamais pensaria uma coisa dessas de você, meu filho.

Quando o assunto é o coração nós somos vulneráveis. Mas quando você

tocou no nome dessa Keiko eu te senti muito triste. O que foi que houve?

LUCAS SE SENTA NA CAMA AO LADO DE ESTELA. ELE RESPIRA FUNDO

ENQUANTO O SEU SEMBLANTE FICA MUITO SÉRIO.

LUCAS (sério): - Essa organização criminosa japonesa que eu estava

investigando, e que foi a responsável pela morte da Alice sequestrou a

Keiko e está querendo vender ela para a Europa. Eu não sei mais o que

fazer para impedir que isso aconteça.

ESTELA (surpresa): - Eu nem sei o que te dizer, meu filho. Esse assunto é

muito sério. Infelizmente hoje em dia tem muitas mulheres que são reféns

de bandidos que só querem dinheiro fácil e vendem elas.

LUCAS: - Você está certa, mãe. Eu não vou descansar enquanto não

encontrar a Keiko. (P) Eu me apaixonei por ela, e eu sou capaz de tudo

pela mulher que eu amo.

ESTELA ESBOÇA UM SORRISO. ELA E LUCAS FICAM UM AO LADO DO

OUTRO EM UM MOMENTO FRATERNAL DE MÃE E FILHO.

//


CENA 7: EXTERIOR. BAIRRO DA LIBERDADE. RUA. NOITE

KEIKO E AYUMI ESTÃO PARADAS UMA DE FRENTE PARA A OUTRA. KEIKO

FICA OLHANDO PARA TODOS OS LADOS COMO SE ESTIVESSE

PRESSENTINDO ALGUMA COISA. NESSE MOMENTO UM CARRO DE

POLÍCIA PARA EM FRENTE AO LOCAL, E MITSUKO DESCE COM UM

SORRISO CÍNICO EM SEU ROSTO.

MITSUKO (cínica): - Acha mesmo que você iria conseguir fugir depois da

atrocidade que você fez, Keiko? Você tem contas para acertar com a

justiça, e eu não vou deixar você fugir não. Você chegou ao fim da linha.

KEIKO (apavorada): - Eu não sei do que você está falando, Mitsuko. Eu

não fiz nada de errado. Eu vou embora, e você não tem como me impedir.

DELEGADO: - Eu não contaria com isso, senhorita Keiko. Você tem muitas

explicações para dar. Para começar pode ir dizendo onde estava na noite

da morte de Ryu Okinawa? (P) Então… Qual é a sua resposta?

A CÂMERA MOSTRA A SURPRESA NO OLHAR DE KEIKO. LOGO EM

SEGUIDA AYUMI VAI NA DIREÇÃO DE MITSUKO E A ENCARA.

AYUMI (nervosa): - O que foi que você armou para que o delegado tivesse

que perder o tempo precioso dele em fazer essa falsa acusação? Diga logo.

MITSUKO (sorrindo): - Eu não sei do que você está falando, garota. Se a

sua amiga matou um homem então ela deve pagar por esse crime.

KEIKO: - Eu não fiz nada. Eu sou inocente. (P) Ayumi…. Você precisa

acreditar em mim. Eu jamais faria uma coisa dessa natureza.

DELEGADO (firme): - Chega desse bate boca. Senhorita Keiko Watanabe….

Você está presa pelo assassinato de Ryu Okinawa. É melhor não resistir.

O DELEGADO ALGEMA KEIKO E A COLOCA DENTRO DA VIATURA

POLICIAL. AYUMI NÃO ACREDITA NO QUE ESTÁ ACONTECENDO. A

CÂMERA MOSTRA O SORRISO CÍNICO NO OLHAR DE MITSUKO.

A IMAGEM CONGELA NO OLHAR CÍNICO DE MITSUKO. AOS POUCOS A

IMAGEM VAI GANHANDO UM TOM ALARANJADO COMO O SOL TIVESSE

NASCENDO NO HORIZONTE.


Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.