Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Vinganças - Capítulo 27 (Últimas semanas)

 

Vinganças - Capítulo 27




Cena 1 Espaço de festas/ Interior/ Noite 

Maria olha para todos os convidados, que estão perplexos com sua presença. Mário e Eva batiam palmas e com sorriso no rosto com efeito de que já que sabiam sobre a volta de Maria. Fagner se aproxima, com lágrimas no rosto e a abraça. 

Fagner (chorando) - Minha filha... você está viva!

Maria (abraçando Fagner) - Pai... eu tenho tanta coisa para te contar...

Fagner - E eu quero escutar tudo... tudo!

Eva, Mário e Pedro abraçam com Maria.

Maria - É um prazer enorme estar aqui com vocês e anunciar que eu não morri.

Leão se levanta de seu lugar, Munique o puxa pelo braço. 

Leão - Eu preciso ir falar com ela...

Munique - Não! Depois você fala... e mais: ela mentiu pra você e para todos nós! 

Leão - Ela tem que me explicar o motivo.

Munique - Não! Você não vai lá, fique aqui.

Leão se senta.

Alguns convidados se levantam para abraçar Maria, se forma uma grande fila.

Thiago se aproxima de Matheus.

Thiago - Pelo jeito, você terá grandes problemas com a volta da Maria.

Matheus - Eu? Quem matar ela foi você! Eu fui contra.

Thiago - E você que rouba a construtora?

Matheus - E você que matou a sua amante?! Nós dois estamos no fundo do poço!

Thiago - Temos que tentar alguma coisa contra ela... ou se não será o nosso fim.

Maria desce do palco e caminha em direção a Leão e Munique. Munique se levanta e puxa Leão pelo braço. 

Munique - Vamos... ela está para cá...

Maria - Olá, Leão e Munique... vão fugir de mim?

Leão - Não... não iriamos fugir de você, diferente de você que fugiu de mim!

Maria (séria) - Eu fugi de você? 

Leão - Fugiu. Você me abandonou quando eu estava mais precisando de você! Você enganou todas essas pessoas aqui dizendo que estava morta e agora reaparece do nada?

Munique - É isso mesmo! Você sumiu e não deu explicações a ninguém, principalmente o seu ex noivo.

Maria - E você já correu pros braços dessa mulherzinha, né?! 

Leão - Você some e agora quer dar um ataque de ciúmes, né?!

Maria - Não. Eu irei dar um ataque de ciúmes mas eu irei provar que eu sempre estive certa e que você foi enganado por esta mulher aí. Bom, a minha volta vai trazer muitas quedas por aí. Agora me deem licença, porque eu não irei correr atrás de macho não mas eu irei provar pra muito macho que a razão sempre esteve e sempre estará do meu lado.

Maria sai daquela região. 

Leão - O que ela estava falando?

Munique (surpresa) - Invenção dela... ela quer continuar a te enganar, meu bem...

Ariela bebe uma água, Robson se aproxima. 

Ariela (chocada) - Meu Deus... como a Maria fez isso?

Robson - Estou perplexo com tudo isso... 

Ariela - O papai viu ela sendo baleada... ela sendo morta! 

Robson - Fomos no velório dela!

Ariela - E ela ainda foi cremada! 

Robson - Este caso está igual a novela... muito louco!

Ariela - Mas se ela fez isso, é porque teve alguma razão, né?!

Robson - Verdade, mas taí: qual motivo desse mistério todo?

Ariela - Será que ela foi sequestrada por mando dela mesmo?

Robson - Já imagino isso saindo em todos os jornais...

Ariela - Eu mesma escrevendo a matéria. 

Robson (ri) - É mesmo.

Pedro abraça novamente com Maria.

Pedro (chorando) - Minha amiga... minha irmã do coração... eu senti tanto a sua falta!

Maria - E eu da sua... depois dessa festa, quero te contar tudo e com detalhes!

Pedro - Não faz isso novamente... 

Maria - Se eu fazer, te avisarei.

Jota se  aproxima de Pedro e Maria.

Jota - Fico muito alegre por estar viva, Maria. 

Maria - Agradeço, Jota! 

Jota - Eu só não estou gostando mais porque esse traidor aí me traiu com aquele traficante desgraçado.

Maria - Não grite e nem faça barraco, por favor. 

Pedro - Jota... eu já te disse desde antes que eu não quero mais nada com você...

Jota (agarra o braço de Pedro) - Você vai comigo agora! 

Pedro - Solta meu braço!

Maria - Vamos, solte!

Urso se aproxima rapidamente.

Urso (nervoso) - Solta o braço do meu marido agora!

Pedro - Vamos, por favor, me solte.

Jota - Ficou estressado, traficante?

Urso - Solta o braço dele agora, se não eu acabo com você!

Jota - Vai fazer o quê? Me fuzilar?

Urso da um soco em Jota, que revida em Urso. Os dois se atracam. Urso da um mata leão em Jota.

Pedro - Solta ele, Urso...

Maria - Você pode matar ele...

Urso solta Jota.

Jota - Eu te odeio!

Urso - Me odeia por quê? Hein?! Me responde!

Jota - Você roubou o meu namorado! Eu odeio por isso!

Urso (surpreso) - O quê? Você namorava o Pedro?

Jota - Claro que sim... inclusive quando vocês estavam noivos, a gente era namorados e planejavamos de fugir! 

Urso (chorando) - Pedro, isso é verdade...

Pedro (chorando) - Urso...

Urso - Mas é claro que é verdade... você tentando fugir... você mentiu pra mim! Você disse que não estava com ninguém... você me enganou! Disse que me amava!

Pedro - Urso... por favor...

Urso - Você me enganava... eu crente que a gente estava numa boa e você me traindo com esse aí!

Pedro - Não... eu não te traía... 

Urso sai do local, Pedro corre atrás. 

Maria (preocupada) - Viu o que você fez?! 

Jota abaixa a cabeça. 

Corta para/

Amanhece o dia. É visto o Rio de Janeiro, suas praias e praças. 

Cena 2 Casa de Eva/ Dia 

Maria, Mário, Eva e Fagner tomam café. 

Eva (rindo) - E você me fez chorar horrores, Mário  (ri).

Mário  (ri) - Eu tinha que deixar... se não iriam desconfiar.

Fagner - Mas e a polícia? Vocês enganaram eles.

Maria - O Mário já falou tudo com o delegado e com o investigador do meu caso. 

Eva - E como você fez para fingir a sua própria morte?

Maria - Na hora que fui pro hospital, tiraram a bala...

Mário - Que era de festim.

Maria - O Mário me falou tudo quando foi no cativeiro.

Fagner (surpreso) - Você estava junto com eles?

Mário (ri) - Claro que sim! E eles ainda me ajudaram em muito com outras coisinhas.

Eva - Menino, menino... (ri).

Maria - Eu conversei com eles, nós jantamos e tudo rolou super bem depois que o Mário foi lá e me explicou todo o plano.

Eva - Mas por que vocês fizeram isso?

Maria - O Thiago e o Matheus se juntaram contra mim.

Fagner (surpreso) - Eu vou acabar com eles! Aqueles desgraçados tentaram matar a minha filha!

Maria - Se acalme, pai... irei contar tudo! E mais: a polícia está me ajudando também... está sendo tudo mantido a sigilo e pai: por favor, não comente nada a ninguém isso e nem queira xingar o Thiago ou o Matheus e nem tente falar nada com a Ariela, tá bem? Quando eu estiver com todas as provas contra eles, aí sim irei me vingar de um por um.

Fagner - Está bem... agora conte.

Maria - Tudo começou quando...

Corta para/

Cena 3 Casa de Urso/ Dia 

Urso e Pedro estão em discussão. 

Pedro - Me perdoe por mentir pra você... mas me entenda...

Urso (nervoso) - Entender? Você mentiu pra mim! Eu te dei o meu melhor... o que eu nunca tive... e você me da uma mentira... 

Pedro - Eu tinha medo de você... 

Urso - Você não me amava... 

Pedro - Eu não te amava... mas agora eu te amo, como que eu me entreguei a você...

Urso (chorando) - Aquele desgraçado... eu irei matar ele! Eu vou matar.

Pedro - Não, por favor... não suje suas mãos com ele...

Corta para/

Cena 4 Delegacia/ Dia 

Fátima  (sentando na cadeira) - Jorge... Jorge... pela suas imaginações, a próxima vítima morrerá hoje.

Policial - Se não morrer hoje, então não tem correlação esses assassinatos. 

Fátima - Eu ainda creio que não tem ligação, mas tudo indica que sim.

Policial - Veremos.

Corta para/

Anoitece.

Cena 5 Rua/ Noite 

Jota está andando de moto. Estava escuro. Ao se aproximar de um terreno baldio, ele fura o pneu de sua moto. O homem se levanta da moto.

Jota - Olha aonde esse pneu foi furar... terei que levar essa moto empurrando até em um posto... será que o próximo posto fica longe daqui? 

O homem pega o celular e olha a hora.

Jota - Nove e meia da noite... melhor eu indo dando no pé... se um ladrão me pegar aqui...

Alguém se aproxima dele. 

Jota (surpreso) - Ei... quem está aí?

Vê-se uma arma apontada para Jota.

Jota - Não faça isso... pare... abaixe essa arma... não... por favor... não...

Alguém atira contra ele, que cai no chão sangrando.

Jota - Não me mate... 

Essa pessoa da mais dois tiro em Jota, que morre ali mesmo.

Corta para/

Cena 6 Casa de Munique/ Noite 

A campanhia toca. Munique abre a porta, é Maria. 

Maria (séria) - Podemos conversar, Munique? Ou melhor: usupadora do meu noivo... ou melhor: assassina!

A imagem congela em Munique surpresa.




Tags

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.