Type Here to Get Search Results !

Marcadores

Terra do Sol - Capitulo 33 (Últimos capítulos)

 

TERRA DO SOL (太陽の国) – CAPÍTULO 33

Web novela criada e escrita por: Luan Maciel

Produção Executiva: Ranable Webs

CENA 1: EXTERIOR. PENHASCO. NOITE

A CÂMERA MOSTRA QUE LUCAS E KEIKO SE ABRAÇAM EMOCIONADOS

DEPOIS DE TODO O TERROR WUE PASSARAM NAS MÃOS DE MITSUKO.

LUCAS AJUDA HAYATO A SE LEVANTAR. HAYATO AINDA SENTE MUITA

DOR NA PERNA, MAS ELE NÃO CONSEGUE ESQUECER QUE SUA MÃE

QUERIA MAYAR TODOS ALI.

LUCAS (sério): - Hayato…. Eu sei que nós temos as nossas diferenças, mas

eu queria te agradecer por você ter protegido a Keiko. Eu sei que esse

ferimento está doendo muito. Eu vou te levar até o hospital.

HAYATO (abatido): - O ferimento está doendo, mas não tanto quanto a

minha alma. A minha própria mãe tentou me matar. Eu não posso

acreditar no monstro que ela se transformou. Isso não está certo.

KEIKO: - A culpa não é sua, Hayato. A sua mãe sempre foi uma pessoa fria

e manipuladora. É isso que ela faz de melhor. Estraga tudo que está ao

redor dela. Eu não acredito que ela conseguiu fugir de novo.

LUCAS RESPIRA FUNDO. ELES SE OLHAM MUITO INCOMODADOS.

HAYATO (gentil): - Vocês não tem nada que me agradecer. Eu fiz apenas o

que era certo naquele momento. A minha mãe se tornou uma pessoa de

quem eu sinto muita repulsa. O que ela ganha com isso?

KEIKO (ponderando): - Nenhum de nós estamos a salvo enquanto a

Mitsuko estiver livre. Ela não vai desistir de pegar o meu filho.

Sinceramente eu estou apavorada com o que pode acontecer.

LUCAS: - Eu não vou deixar isso acontecer, Keiko. Por mais que a Mitsuko

seja perigosa eu vou fazer o que for preciso para proteger você e o nosso

filho. Ela não vai mais chegar perto de nós. Pode acreditar em mim.

LUCAS E KEIKO SE BEIJAM. LOGO DEPOIS ELES E HAYATO ENTRAM NO

CARRO QUE VAI INDO EMBORA DESSE LOCAL AFASTADO.

//


CENA 2: INTERIOR. AEROPORTO. SALÃO DE EMBARQUE. NOITE

MUITAS PESSOAS ESTÃO PASSANDO PELO AEROPORTO. O FOCO ESTÁ

EM FABIANA QUE ESTÁ DISFARÇADA E TENTA EMBARCAR EM UM VÔO

PARA FORA DO PAÍS. ELA TENTA NÃO CHAMAR A ATENÇÃO DE NINGUÉM,

MAS ELA SENTE ALGUÉM TOCAR EM SEU BRAÇO COM FORÇA. QUANDO

FABIANA SE VIRA ELA FICA FRENTE A FRENTE COM DOIS POLICIAIS.

FABIANA (irritada): - O que vocês querem comigo? Me soltem agora. Eu

tenho um vôo para pegar e eu não posso ficar aqui perdendo tempo.

POLICIAL 1 (figurante): - Você acha mesmo que consegue nos enganar,

Fabiana? Você não vai lugar nenhum. O único lugar que você vai é a

delegacia. Você tem muito o que explicar sobre a morte do Celso Cipriatis.

Ele não é o seu pai? Não complique a sua situação ainda mais.

FABIANA: - Eu não sei do que vocês estão falando. Agora me deixem ir

que eu tenho que pegar esse vôo de qualquer jeito. Vocês não entendem a

importância do que está acontecendo aqui.

UM DOS POLICIAIS TIRAM O DISFARCE DE FABIANA QUE DEIXA A VILÃ

SEM SAÍDA. TODOS OS PRESENTES FICAM ABISMADOS COM O QUE

ESTÃO PRESENCIANDO. FABIANA FICA MUITO NERVOSA.

FABIANA (nervosa): - O que vocês querem comigo? Porque não me deixam

em paz? Eu não nada haver com a morte do Celso. Eu não vou a lugar

nenhum com vocês. É melhor me deixarem entrar nesse vôo.

POLICIAL 2 (figurante): - Você sabe muito bem que isso não vai acontecer,

Fabiana. Você é uma foragida da justiça, e além disso é a principal suspeita

da morte do Celso. Você está presa, Fabiana. Não tente resistir.

FABIANA: - Eu não nego que eu queria matar o Celso. Mas não fui eu que

tive o prazer de fazer isso. Vocês precisam acreditar em mim. Eu nunca fui

de dizer a verdade, mas agora eu estou sendo sincera.

OS POLICIAIS ESTÃO CERTOS DE QUE PEGARAM A PESSOA CERTA. ELES

ALGEMAM FABIANA QUE VAI SENDO LEVADA DO AEROPORTO.

//


• AMANHECE •


CENA 3: INTERIOR. HOSPITAL. LEITO. MANHÃ

CLOSE EM HAYATO QUE ESTÁ DEITADO NA CAMA DO HOSPITAL E AINDA

SE RECORDANDO DE TUDO QUE ACONTECEU NA NOITE ANTERIOR.

NESSE MOMENTO ELIZETE ENTRA NO QUARTO ACOMPANHADA DE SHIN.

SEM PENSAR DUAS VEZES ELIZETE ABRAÇA HAYATO E O BEIJA.

ELIZETE (chorando): - Hayato…. Você não pode imaginar como eu estava

preocupada com você. Eu pensei que a sua mãe tinha feito alguma

maldade contra você. (P) Você levou um tiro? Que espécie de mundo é

esse que uma mãe tenta matar o próprio filho?

HAYATO (esboçando um sorriso): - O importante é que agora estou do

lado das duas pessoas que eu mais amo nesse mundo. Eu só quero

esquecer esses momentos de terror que eu passei ontem.

SHIN: - Eu fico feliz que tudo tenha acabado bem, meu filho. Mas o que

me deixa preocupado é saber que a sua mãe conseguiu fugir de novo.

HAYATO FICA BEM SÉRIO. ELIZETE FICA AO SEU LADO O

CONFORTANDO. ELA TOCA SUAVEMENTE NAS MÃOS DE HAYATO.

HAYATO (sério): - Se vocês não se importam eu não quero mais ficciar

remoendo esse assunto. Tudo que eu quero é que a justiça seja feita e que

a minha mãe responda por tudo que ela fez.

ELIZETE (concordando): - Você está coberto de razão, meu amor. O que

realmente importa é estarmos ao lado das pessoas que amamos. Eu não

quero ficar nenhum segundo longe de você, Hayato.

SHIN: - É tão bom ver o quanto vocês se amame se dão b6em. Eu tinha

medo que a sua tivesse te transformado em um homem igual a ela, meu

filho. Mas hoje eu vejo que você é um homem de bem, e isso me enche de

orgulho.

HAYATO SORRI. ELE E SHIN SE ABRAÇAM EMOCIONADOS..

//


• TRANSIÇÃO DE TEMPO: ALGUNS MESES DEPOIS •

CENA 4: INTERIOR. APARTAMENTO DE LUCAS. SALA. DIA


O TEMPO PASSOU. A CÂMERA MOSTRA DE UMA FORMA EVIDENTE QUE

KEIKO ESTÁ COM UMA LINDA BARRIGA DE GRÁVIDA. AO LADO DELA

ESTÃO ESTELA E DIARA QUE GAZEM UNA FESTA PARQ COMEMORAR A

GRAVIDEZ DE KEIKO QUE ESTÁ CADA VEZ MAIS RADIANTE.

KEIKO (se sentindo estranha): - Eu não sei o que está acontecendo comigo

ultimamente. Faz semanas que eu estou me sentindo diferente. Estou

tendo enjôos que eu nunca tive antes. Isso não é normal.

DIARA (sorrindo): - Muito pelo contrário, Keiko. Essa situação que você

está passando é normal para um mulher que está grávida. Você não

precisa ficar com medo ou receio. Está cada vez mais perto do seu parto.

ESTELA: - A Diara está certa, Keiko. Há qualquer momento você pode

entrar em trabalho de parto, e nós precisamos estar preparadas. (P) Onde

está o meu filho nesse momento tão importante.

ANTES QUE KEIKO PUDESSE RESPONDER UM LÍQUIDO COMEÇA A

ESCORRER POR SUAS PERNAS. ESTELA E DIARA PERCEBEM QUE A BOLSA

DE KEIKO ESTOROU E QUE ELA ESTÁ PRESTES A DAR A LUZ.

KEIKO (preocupada): - O que está acontecendo comigo? Isso não pode

estar acontecendo agora. (P) Por favor me ajudem. Eu não seu o que

fazer. Eu nunca tive que passar por isso antes.

DIARA (ponderando): - Calam, Keiko. Eu sei que esse momento é de muita

aflição e incertezas, mas você precisa manter a calma. (P) Tudo que

acontecer daqui para frente vai ser para o bem do seu filho.

ESTELA: - Nós precisamos ir para o hospital o quanto antes. Você está

prestes a entrar em trabalho de parto, Keiko. Você não tem muito tempo.

MESMO COM MUITA DIFICULDADE ESTELA E DIARA CONSEGUEM AJUDAR

KEIKO.A IR ATÉ O HOSPITAL. O SEMBLANTE DE KEIKO É DE MEDO.

//

CENA 5; INTERIOR. PRESÍDIO FEMININO. SALA DE VISITA. DIA

FABIANA ESTÁ SENDO LEVADA ATÉ A SALA VISITAS POR UMA

CARCEREIRA. ASSIM QUE ENTRA NA DALA.DE VISITAS FABIANA VÊ QUE

SUA MÃE A ESTÁ ESPERANDO. A RAIVA PODE SER VISTA NO OLHAR DE

FABIANA. A CARCEREIRA SAI DEIXANDO A VILÃ E VALÉRIA SOZINHAS.


FABIANA (furiosa): - O que você veio fazer aqui? Lembrou que eu existo

depois de me esquecer nesse buraco depois de tantos meses? Eu não

quero mais ter que olhar para você. Vá embora.

VALÉRIA (séria): - Você não sabe do que está falando, Fabiana. Você não

sabe tudo o que eu tive que fazer pelo seu bem. Você deveria ser mais

grata por tudo que eu já fiz por você, minha filha.

FABIANA: - E porque eu deveria ser grata exatamente? Eu estou prestes a

ser avisada formalmente da morte do Celso. Mas tem algo que não se

encaixa nessa história. Eu sinto que você está me escondendo. O que é?

VALÉRIA TENTA DISFARÇAR, MAS FABIANA PERCEBE QUE SUA MÃE

DESVIA O OLHAR TODA VEZ QUE A VILÃ A PRESSIONA.

VALÉRIA (interrompendo): - Você precisa esquecer dessa história, minha

filha. Eu jamais iria esconder nada de você. Eu vou fazer tudo que estiver

ao meu alcance para que você saia desse lugar horrível.

FABIANA (irritada): - Eu não acredito em nenhuma palavra que sai da sua

boca. Se você não quer falar a verdade, ótimo, mas eu vou te pedir

novamente que vá embora. Não tenho mais nada para falar com você.

VALÉRIA: - Você não pode fazer isso comigo, Fabiana. Eu sou sua mãe.

Você pode não gostar disso, mas nada vai mudar que somos mãe e filha.

FABIANA BATE COM RAIVA NA PORTA E A CARCEREIRA A LEVA EMBORA.

VALÉRIA FICA SOZINHA NA SALA DE VISITAS MUITO ABALADA.

//

CENA 6: INTERIOR.. DELEGACIA. SALA DO DELEGADO. DIA

CLOSE EM LUCAS E INÁCIO QUE ESTÃO REUNIDOS COM O DELEGADO DA

POLÍCIA CIVIL. ELES ESTÃO TENTANDO ENTENDER O MOTIVO DE SEREM

CHAMADOS ALI. O DELEGADO OLHA COM SERIEDADE, E MAIS DO QUE

IMEDIATAMENTE LUVAS PERCEBE QUE ALGO NÃO ESTÁ CERTO.

DELEGADO (figurante): - Vocês devem estar se perguntando o porque eu

chamei vocês aqui. Nós estamos seguindo alguns caminhos na investigação

que nos leva a acreditar que a pessoa que matou o Celso Cipriatis conhecia

o dia a dia da mansão. A única que se encaixa nesse quesito é a sua mãe,

Lucas. Eu não queria falar isso, mas ela é a principal suspeita.


LUCAS (sério): - Você não pode estar falando sério. Você tem ideia de

quem você está acusando de ter matado aquele verme? Eu não vou ficar

aqui ouvindo essas falsas acusações contra a minha mãe.

INÁCIO: - Calma, Lucas. O Delegado está apenas fazendo o trabalho dele.

(P) Mas Delegado…. Como você pode ter certeza que a dona Estela eya

principal suspeita da morte do Celso. Isso não faz sentido.

O DELEGADO MOSTRA NO COMPUTADOR A IMAGEM DE UMA MULHER

SAINDO NA HORA DO CRIME. LUCAS NÃO CONSEGUE ACREDITAR.

DELEGADO (figurante): - Agora você consegue entender o que eu estava

querendo dizer, Lucas? A assassina conhecia tudo que acontecia dentro da

mansão, e a sua mãe tinha motivos suficientes para matar o Celso.

LUCAS (revoltado): - Deve haver alguma explicação para isso, Delegado. A

minha mãe jamais seria capaz de fazer algo tão bárbaro desse jeito. Você

não conhece ela. Eu acredito na inocência dela.

INÁCIO: - Eu concordo com o Lucas, Delegado. A dona Estela perdeu tudo

que ela tinha por causa do Celso, mas eu não acredito que ela mataria.

Deve ter algo que nós estamos esquecendo.

LUCAS (firme): - Para mim já chega de todas essas especulações. Eu sei

quem a minha mãe é de verdade, e isso é o importa. Eu vou embora,

Delegado. Se quiser falar comigo você saber onde me encontrar.

UMA MENSAGEM CHEGA NO CELULAR DE LUCAS. ELE FICA SABENDO QJE

KEIKO ESTÁ EM TRABALHO DE PARTO, E VAI EMBORA DALI.

//


• HORAS DEPOIS •

CENA 7: INTERIOR. HOSPITAL. QUARTO. TARDE

O MÉDICO ENTREGA UM LINDO MENINO NOS BRAÇOS DE KEIKO E A

NOSSA PROTAGONISTA FICA MUITO EMOCIONADA. O MÉDICO VAI

SAINDO DO QUARTO DEIXANDO KEIKO SOZINHA. NESSE MOMENTO A

PORTA DO QUARTO VAI ABRINDO E UMA ENFERMEIRA ENTRA NO


QUARTO. SEM QUE KEIKO PERCEBA A ENFERMEIRA PEGA SEU FILHO, E A

CÂMERA MOSTRA QUE A ENFERMEIRA NA VERDADE É MITSUKO.

MITSUKO (ardilosa): - Que criança mais linda. É uma pena que você nunca

vai criar ele, Keiko. Eu falei que iria te destruir, e nada pior do que uma

mãe perder um filho. Essa é a minha vingança contra você.

KEIKO (desesperada): - Não faz isso, Mitsuko. Eu estou te suplicando. Não

tira o meu filho de mim. Isso não é coisa que se faça.

MITSUKO: - Eu prometo dar uma boa vida para esse lindo menino. Ele

nunca vai saber que é filho de um gaijin maldito e de uma mulher que

nega as suas origens. Ele será o meu filho ideal.

MITSUKO SORRI MALICIOSAMENTE. KEIKO FICA APAVORADA.

KEIKO (séria): - Porque você está fazendo isso comigo, Mitsuko? Tudo o

que eu sempre quis foi ter a minha vida de volta. Você me tornou um

pessoa amargurada, mas o amor que eu sinto pelo Lucas me mudou e eu

não posso permitir que você leve o meu filho embora.

MITSUKO (fria): - E você quer que eu sinta pena de você, Keiko? Você

tirou tudo de mais precioso que eu tinha: O meu dinheiro, o meu poder, a

admiração do meu único filho. Isso é algo que não tem perdão.

KEIKO: - Pense o que você quiser, Mitsuko. Mas o meu filho não vai ficar

com você. Você não vai conseguir fugir com o meu filho, Mitsuko.

MITSUKO SORRI. ELA PEGA O FILHO DE KEIKO E VAI INDO EMBORA DO

HOSPITAL SEM OLHAR PARA TRÁS. KEIKO FICA COMPLETAMENTE

DESESPERADA E CHORA INCONTROLÁVEL.

A IMAGEM CONGELA NO CHORO DE KEIKO. A IMAGEM VAI GANHANDO

UM TOM ALARANJADO COMO SE O SOL ESTIVESSE NASCENDO NO

HORIZONTE.

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.