Type Here to Get Search Results !

Marcadores

VENTO NORTE: Capítulo 08



Cena 01/ Residência Fontes/ Suíte principal/ Dia.

Close em Vera caída sob o chão desmaiada.  Alberto entra no quarto e corre em direção a esposa ao vê-la desmaiada. 

Alberto: (desesperado) Vera, Vera! Meu amor, Vera... Reage, reage! (gritos) Mãe, Mãe, Mãe! Socorro! 

Eleonora aparece e logo corre em direção ao filho. Ela se espanta ao ver a nora desmaiada. 

Alberto: (desesperado) Chame uma ambulância e avise Regina, rápido mãe, rápido! 

Eleonora se dirige correndo até a porta do quarto.

Cena 02/ Residência Fontes/ Sala de estar/ Dia.

Eleonora aparece correndo, desnorteada e se dirige até a mesinha onde o telefone está localizado. Ela disca o número do hospital. 

Eleonora: (tel) Por favor, é uma emergência!

Corta p/ cena seguinte. 

Cena 03/ Residência Fontes/ Externa/ Dia.

Plano geral da fachada da casa e de uma ambulância parada em frente. 


Cena 04/ Residência Fontes/ Suíte principal/ Dia.

Close nos enfermeiros colocando Vera em cima da maca, com Alberto e Eleonora desesperados. 

Cena 05/ Residência Fontes/ Externa/ Dia.

Close em Vera sendo carregada até a ambulância pela maca. Alberto acompanha a esposa e se senta ao lado dela dentro do automóvel. Close nos vizinhos observando a cena. Eleonora entra dentro de casa desesperada e desnorteada. 

Cena 06/ Residência Trajano Ferraço/ Cozinha/ Dia.

Regina está cortando tomates, enquanto fica reflexiva, pensativa, preocupada. O telefone toca e ela se vira em direção à porta da cozinha, um pouco inquieta. Ela respira fundo e vai atender.

Cena 07/ Residência Trajano Ferraço/ Sala de estar/ Dia.

Regina se dirige até a mesinha onde está localizado o telefone e o atende. 

Regina: (tel) Pois não? Vovó? (preocupada) Ah meu Deus... (desesperada) Qual hospital? Estou indo para aí! 

Regina se dirige até o corredor desesperada. 

Cena 08/ Bordel Le Blanc/ Quarto de Laura/ Dia.

Laura se apronta em frente ao espelho e conversa consigo mesma. 

Laura: Com os mil cruzeiros que esse conde pagará nesse programa, poderei finalmente comprar um automóvel para mamãe! (risos)

Close nela se exibindo sob o espelho. 

Cena 09/ Residência Muniz/ Sala de jantar/ Dia.

Roberto, Helena e Vicente jantam à mesa. 

Helena: Mais cedo fui a feira, encontrei algumas conhecidas... Conservamos sobre muitos assuntos entre eles domésticos, sobre maridos, filhos, conservamos sobre a guerra... 

Roberto: Conservaram sobre a guerra? 

Helena: Você não leu o jornal Roberto? Essa semana começaram as convocações para a preparação de soldados brasileiros que irão lutar na Itália sob mira dos alemães. 

Roberto: Vicente, pegue seu prato e termine seu almoço em seus aposentos por gentileza. 

Vicente: Papai, já possuo discernimento sobre esse assunto, na escola não se fala em outra coisa... Dois pais de alunos do oitavo e nono ano foram convocados para lutar na guerra. O senhor pode ser chamado pai? 

Roberto: (preocupado) Eu não sei...

Vicente se levanta da cadeira e abraça o pai. 

Vicente: Eu não quero que o senhor vá papai... 

Close em Roberto desnorteado. 

Cena 10/ Residência Trajano Ferraço/ Corredor/ Dia.

Regina cruza com o filho ao sair de seu quarto apressada com sua bolsa. 

Carlos: Algum problema mamãe? 

Regina: Sua avó acaba de dar entrada na clínica, preciso ir para lá. Há salame defumado na dispensa, prepare um sanduíche para você e sua irmã, quando seu pai chegar avise-o que estou no hospital. 

Carlos: (preocupado) Está certo mamãe!

Regina se dirige até a sala. 

Abertura: 


Propaganda: 


Vinheta de intervalo: 


Cena 11/ Hospital municipal/ Quarto/ Dia.

Doutor Edmundo observa Vera que está desacordada enquanto faz anotações em sua apostila. Plano geral.

Cena 12/ Hospital municipal/ Recepção/ Dia.

Alberto está preocupando andando de um lado para o outro, sem saber de notícias da esposa. Regina aparece apressada e se dirige até o pai. 

Regina: (ela o braça) Papai? E mamãe? Como ela está? 

Alberto: (ele finaliza o abraço e responde) Eu não sei... As informações estão muito escassas. 

Eles voltam a se abraçar.

Edmundo aparece e se dirige até Regina e Alberto. 

Alberto: (aflito) Doutor e Vera? Como ela está? 

Edmundo: Ela obteve um mal estar, mas agora conseguiu se estabilizar. Ela está repousando. 

Regina: Ela ficará internada? 

Edmundo: Por um ou dias depois poderá ir para a casa, mas deverá se manter em repouso absoluto, por ao menos duas semanas. 

Alberto e Regina gesticulam com a cabeça simulando um sim. 

Regina: Podemos vê-la? 

Edmundo: Não vejo empecilho algum!

Regina, Alberto e Edmundo se dirigem até o quarto de Vera. 

Cena 13/ Hospital municipal/ Quarto/ Dia.

Regina e Alberto observam Vera descansando. Close neles abraçados e tristes.

Cena 14/ Residência Trajano Ferraço/ Sala de estar/ Dia.

Carlos está ajoelhado sob uma almofada em frente a imagem de cristo que há acima da porta da sala.

Carlos: (rezando) Deus, sei que não sou o mais indicado dos garotos para lhe fazer esse pedido, imagino que as reclamações minhas aí em cima não devem ser poucas mas eu te peço, eu te suplico, faça minha avó ficar sã, faça ela se recuperar... Eu vejo minha mãe todos os dias desnorteada, aflita pelos cantos da casa, preocupada, com o olhar avulso... Por favor, faça vovó melhorar... Close em Carlos.

Cena 15/ Barra da Tijuca/ Dia.

Plano geral da barra com um slogan na tela junto à um instrumental.


Instrumental: (que dura até o fim da cena 18)


Cena 16/ Hospital municipal/ Sala de Edmundo/ Dia.

(não se ouve o som das vozes dos personagens até a cena 18)

Vera e Alberto estão sentados em frente à Edmundo que faz alguns relatórios em sua apostila. Alberto e Vera dão as mãos após ouvir os resultados de Edmundo. Close em Alberto e Vera. 

Cena 17/ Centro de yoga/ Sala de aula/ Dia.

Close em Vera sentada sob uma toalha alongando a perna. Foco nela participando da aula.

Cena 18/ Campo/ Dia.

Vera está caminhando sob o campo, subindo uma colina, enquanto passa mal e quase desmaia sob a grama. Ela se levanta e continua a caminhada. Close nela com uma expressão cansada. 

Cena 19/ Mercado Rodrigo Trajano/ Saguão principal/ Dia. 

Enquanto Celso observa o trabalho de seus funcionários, ele escuta sem querer a conversa de dois homens de 25 e 20 anos. 

Manoel: Soube que você foi convocado para a guerra, é verdade?

Daniel: É sim, partiremos em aproximadamente três meses... As convocações ainda não terminaram, eles precisam de mais alguns homens, entre dez e vinte. Eu... 

(a voz começa a ficar desfocada)

Close em Celso preocupado. 

Cena 20/ Residência Fontes/ Externa.

Plano geral da fachada da casa. Ocorre uma transição entre o sol e a lua.




Cena 21/ Residência Fontes/ Banheiro/ Noite.

Vera está secando seus cabelos com a toalha enquanto se observa no espelho. Ela começa a sentir uma leve dor na coluna. Vera faz uma expressão de dor. Ela respira fundo. Após o incômodo aliviar, ela se dirige até a suíte. 

Cena 22/ Residência Fontes/ Suíte principal.

Alberto está deitado sob a cama enquanto Vera se dirige até ele.

Alberto: Venha descansar meu amor. Amanhã faremos aquele piquenique que estávamos planejando à semanas. (abraça Vera)

Vera: Boa noite!

Alberto: Boa noite e durma com os anjos!

Eles se beijam. O tempo passa... Close no relógio em uma transição minuciosamente detalhada. Close neles abraçados e adormecidos. 

Enquanto Vera e Alberto dormem, uma transição através da janela ocorre, do escuro passa a clarear. Alberto acorda. 

Alberto: Bom dia meu amor! (beija Vera que vira o rosto para o lado, gélida, pálida e morta) Vera? Vera? Meu amor? (gritos) Vera, Vera! (tenta reanimá-la) Não, não! Vera, Vera, não... Meu amor... Meu amor! 

Alberto chora aos prantos. Close nele desolado com o corpo da esposa em mãos sob a cama junto à um instrumental. 

Instrumental: 


A imagem fica em preto e branco, como se fosse um filme dos anos 40. Gancho em Alberto desolado pela morte de Vera.






Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.