Type Here to Get Search Results !

Marcadores

ALTOS & BAIXOS - CAPÍTULO 2

 



Cena 1/ Belo Horizonte/ Avenida Movimentada / Dia.

Continuação imediata do capítulo anterior. Os dois veículos batidos saem fumaça... Ana Luiza desce do carro, transtornada e olha pra porta amassada do seu carro. O homem e a mulher que dirigiam o outro veículo também descem. A mulher, histérica. 

Ana Luiza: Olha o que você fez pô! O carro novinho do meu marido!

Homem: Desculpa aê dona!

Mulher: Mas a culpa foi dela!

Ana Luiza: Culpa minha? Claro que não. Foram vocês que não tiveram paciência e avançaram em cima de mim!

Mulher: Olha que despeitada!

Ana Luiza: Mas o que é isso mulher? Você bate no meu carro e ainda me xinga? Despeitada é você!

A mulher não se aguenta e dá um tapa na cara de Ana, que se choca. O marido da mulher rapidamente a segura.

Homem: Pelo amor de Deus amor! 

Ana Luiza: Você tá louca senhora? Eu vou chamar a Polícia agora!

Mulher: Chama!

Ana Luiza: Vaca!

Mulher: (indignada) Quê que foi?

A mulher tenta partir pra cima de Ana Luiza, mas o marido a segura novamente.

Homem: Chega!

O trânsito da avenida fica parado. Os carros começam a buzinar impacientemente. Ana Luiza visivelmente nervosa. Close nela.

Cena 2/ Delegacia / Sala do Delegado / Dia.

Ana Luiza, o Homem e a Mulher diante do delegado.

Delegado: Jussara, Kaique... O que trazem vocês aqui na minha delegacia?

Ana Luiza: (p/si) Ai meu Deus... Eles conhecem o delegado...

Mulher: Essa daí bateu no meu carro!

Ana Luiza: Mas foram vocês que avançaram o sinal. E mais, seu Delegado, essa mulher me agrediu!

Mulher: Cala a sua boca!

Ana Luiza e a mulher começam a trocar ofensas e xingamentos. O Delegado visivelmente incomodado.

Delegado: CHEGAAAA. Vamos conversar como pessoas civilizadas!

Ana Luiza: Eu posso chamar meu marido, delegado? Ele é advogado, vai saber o que fazer.

Delegado: Pode ligar.

Mulher: Mas ela é quem tá errada!

Homem: Calma amor.

Cena 3/ Escritório de Advocacia de Lourenço/ Dia

Lourenço sentado em sua mesa, concentrado no notebook. Seu celular toca. Ele atende:

Lourenço: (cel) Oi Ana! (T) O quê? (T) Eu não acredito! Meu carro novinho! (T) Tô indo já praí!

Ele desliga e se levanta, transtornado. Willian entra na sala.

Willian: Lourenço? Tá tudo bem?

Lourenço: Ana Luiza bateu meu carro novo! Tá lá na delegacia.

Willian: Nossa...

Lourenço: Pra variar, a Ana Luiza fazendo merda!

Willian: Se precisar de alguma coisa, liga!

Lourenço: Pode deixar!

Lourenço pega sua maleta e segue até a porta, agitado.

Cena 4/ Apartamento de Bianca / Quarto de Bianca / Dia.

Música: Downtown - Anitta (até o fim da cena 6)


Bianca (45) em frente ao espelho, muito arrumada, dando o último retoque no batom. 

Bianca: Linda!

Ela manda um beijo pro seu reflexo no espelho e em seguida pega seu celular para olhar o horário.

Bianca: (se olhando no espelho) Vixe, tô atrasada pra porra da escola... Não imaginava que ser diretora ia ser tão estressante... Mas pelo menos lá eu ganho uma boa grana e status, que é importante! 

Ela respira fundo e pega sua bolsa na cama.

Cena 5/ Belo Horizonte/ Avenida/ Carro de Bianca/ Dia.

O carro de Bianca percorre a avenida. Ela dirige plena, de óculos escuros...

Cena 6/ Colégio Alto Índice / diretoria / dia.

Bianca entra na diretoria, com ar de atraso.

Bianca: (deixando a bolsa numa cadeira) Bom dia Ellora.

Ellora: Bom dia Bianca!

Bianca: (percebe um professor na sala) E você quem é?

Tibor: Meu nome é Tibor. Dou aula de História e Sociologia.

Bianca: (antipática) E por que você não está numa sala dando aula?

Tibor: É que eu vim aqui pegar minha pasta. Com licença.

Tibor sai.

Ellora: Por que você não vai de sala em sala conhecendo os alunos, Bianca? É o seu primeiro dia de aula nessa escola.

Bianca: Boa ideia. Vou ver isso agora!

No close de Bianca, corta para:

<< Takes noturnos de Seul - Coreia do Sul >>

Cena 7/ Apartamento de Bang e Lisa/ Sala/ Noite.

Bang e Lisa na sala, dialogando.

Lisa: Bang, eu preciso conversar com você!

Bang: Fala meu amor.

Lisa: Eu quero voltar pro Brasil, ainda essa semana!

Bang: (nervoso) Tá brincando né?

Lisa: Toda decisão que parte de mim é encarada como uma brincadeira pra você?

Bang: Sem essa de suscetibilidade Lisa! 

Lisa: Mas eu e a Sarah vamos Bang! Quer você queira ou não!

Bang: Você ainda quer colocar a Sarah no meio da tua maluquice?

Lisa: Maluquice? Você chama de maluquice o fato de nós querermos viver perto da nossa família? Que egoísmo é esse Bang?

Sarah entra na sala:

Sarah: Appa entenda, a gente quer voltar pro Brasil. Eu e a omma (mãe) estamos com saudades da nossa família. É normal!

Bang: Filha não se meta!

Lisa: Mas é verdade Bang, aqui nós não temos amigos nem família. Não percebe que eu e ela estamos infelizes com tanta indiferença?

Bang: Lisa, espera só mais um pouco! Eu tô entrando num projeto delicado, assim que a gente puder, a gente passa uma temporada no Brasil!

Lisa: Temporada? Que temporada? Eu quero é morar no Brasil, pra sempre!

Bang: Você sabe que eu não posso/

Lisa: E por acaso nascemos grudados? Você fica e nós vamos!

Close em Bang chocado. Sarah fica apreensiva.

Cena 8/ Delegacia / Sala do Delegado/ Dia.

Ana Luiza, Lourenço, o homem e a mulher diante do delegado, que está com um relatório em mãos.

Delegado: Olha, pelo que consta aqui no relatório... Cada um vai pagar o seu conserto.

Ana Luiza: Mas isso aí tá errado... Que absurdo é esse?

Lourenço: (a contendo) Deixa assim!

Delegado: E não tem discussão!

Reação indignada de Ana Luiza.

Delegado: Tão liberados.

O homem e a mulher comemoram. Close em Ana Luiza chocada e desapontada...

ABERTURA:


Vinheta de intervalo:


Cena 9/ Casa de Lourenço e Ana/ Sala/ Dia.

Ana e Lourenço entram em casa já discutindo.

Lourenço: Nossa Ana Luiza, pelo amor de Deus! Meu carro novinho!

Ana Luiza: Agora você vai por a culpa em mim? Foram aquelas duas antas que bateram! E só não deu em nada porque o delegado era justamente amigo daquele casal! 

Lourenço: Mas que droga! Você só faz merda na vida!

Ana Luiza: Que grosseria é essa, machinho? Tudo isso por causa do brinquedinho novo? Cresce pô!

Lourenço: Você sabe o quanto aquele carro é importante pra mim!

Ana Luiza: (farta) Quantas vezes eu vou ter que te explicar que a culpa não foi minha, caramba?

Fellipe entra em casa de mochila nas costas.

Fellipe: O que tá acontecendo? 

Lourenço: A tonta da sua mãe bateu o carro!

Ana Luiza: Olha, se você faz questão de bancar o avestruz e não entender, eu vou pro meu consultório que eu ganho mais. Tchau!

Ela pega sua bolsa e sai de casa. Lourenço apenas olha pra Fellipe.

Cena 10/ Consultório Dentista de Ana Luiza/ Recepção/ Dia.

Ana Luiza entra no consultório e vai falar com a secretária, no balcão.

Ana Luiza: Bom dia Kátia. Você explicou pra Dona Cléo que eu atrasei por causa do negócio do carro?...

Kátia: Expliquei. Ela foi no banheiro e tá furiosa... Mas você tá bem? Me conta!

Ana Luiza: Tô bem! Depois eu te conto o motivo do meu stress!

Dona Cléo (75) vêm do corredor até Ana Luiza.

Ana Luiza: Vamos Dona Cléo?

Cléo: (irônica) Demorou, né querida?

Ana Luiza olha pra Kátia, irônica e segue com a paciente até a porta de sua sala.

Cena 11/ Prostíbulo / Salão/ Dia.

Prostíbulo vazio, sem muito movimento. Vanessa se apresenta no pole dance, exalando toda sua sedução. Tempo. Um homem (aproximadamente 55 anos) se aproxima dela.

Homem: E aí gatona?

Vanessa para de dançar e volta a atenção ao homem:

Vanessa: Oi...

Homem: Eu quero serviço completo.

Vanessa: (seduzente) Tá certo... É 170, vamos?

O homem tira a carteira do bolso, abre, puxa uma nota de 100, uma de 50 e outra de 20 e entrega a Vanessa. Ele morde os lábios, malicioso. Vanessa guarda o dinheiro no decote e vai andando com o homem até o acesso às escadas.

Cena 12/ Casa de Lisa e Bang/ Seul/ Coreia do Sul/ Quarto do casal/ Noite.

Bang deitado na cama assistindo à TV. Lisa sai do banheiro, já falando:

Lisa: Amanhã eu compro as passagens, se quiser vir comigo fique a vontade.

Bang: Chega desse assunto Lisa!

Lisa: Tudo bem Bang... Vou respeitar!

Bang: Deita aqui, vamos dormir!

Lisa respira fundo e se deita ao lado do marido, de costas pra ele... Close em sua expressão pensativa...

Cena 13/ Colégio Alto Índice / Diretoria / Dia.

Bianca em sua mesa digitando algo em seu notebook, sempre de saco cheio e conversando sozinha.

Bianca: (p/si baixinho) Que empreguinho cansativo... Não vejo a hora de abrir minha boate e meter o pé desse monte de papel... Minha sorte é o que o salário dá uma compensada... Porquê puta que/

A frase de Bianca é interrompida pela entrada de Ellora na sala.

Ellora: Falou comigo Bianca?

Bianca: (falsa) Pensei alto fofa! Desculpa...

Ellora: (fingindo que acredita) Ata...

Bianca fecha o notebook, pega sua bolsa e se levanta.

Música: Downtown - Anitta.


Bianca: Tô vazan.../ Digo, indo embora, querida! Tchau!

Ellora: Tchau!

Bianca se dirige à saída. Ellora balança a cabeça irônicamente.

Ellora: (rindo) Essa mulher é louca! Completamente...

Cena 14/ Prédio de bianca/ Estacionamento subsolo/ Dia.

(Música continua) O carro de Bianca estaciona na vaga. Ela desce, plena, e anda até o elevador.

Cena 15/ Prédio de Bianca / Corredor de apartamentos/ Dia.

(Música continua) Bianca sai do elevador e vai direto pra porta de seu apartamento, falando sozinha.

Bianca: Essa Ellora é tão sonsinha meu pai... Como eu vou aguentar esse estorvo?!

Ela abre a bolsa, procura as chaves mas não acha.

Bianca: Onde eu deixei minhas chaves?

Ao olhar pra frente, ela vê a porta entreaberta e se assusta.

(Música termina)
 
Bianca: E espera... Por que a porta está aberta? Ai meu Deus...

Ao entrar no apartamento, ela se surpreende ao dar de cara com dois bandidos de touca ninja, colocando objetos da casa dentro de um saco preto. No horror de Bianca,

(CONGELA EM BIANCA ASSUSTADA)

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.